Critérios de Ponderação

Para consultar os critérios de ponderação relativos ao 1.º, 5.º e 7.º anos consulte-se o Plano de Desenvolvimento Curricular 2018.2019, disponível aqui.

 

Quanto aos critérios de ponderação dos outros anos de escolaridade podem consultar-se no Plano de Estudos e Desenvolvimento Curricular

                  2018.2019                    

Avaliação de alunos

1.1. Avaliação interna

Considera-se atividade de avaliação o conjunto de atividades realizadas pelo aluno (individualmente ou em grupo), no decurso das experiências educativas, atendendo à aquisição de novos conceitos ou reconstrução de outros, à capacidade para comunicar e organizar-se, tendo por objetivo a resolução de problemas, as atitudes desenvolvidas face às tarefas propostas e a sua capacidade de decisão e autonomia, para além das relações de comunicação e participação desenvolvidas no grupo-turma.

 

1.2. Avaliação diagnóstica

A avaliação diagnóstica realiza-se no início de cada ano de escolaridade ou sempre que seja considerado oportuno, devendo fundamentar estratégias de diferenciação pedagógica, de superação de eventuais dificuldades dos alunos, de facilitação da sua integração escolar e de apoio à orientação escolar e vocacional.

 

1.3. Avaliação formativa

A avaliação formativa assume caráter contínuo e sistemático, recorrendo a uma variedade de instrumentos de recolha de informação adequados à diversidade da aprendizagem e às circunstâncias em que ocorrem, permitindo ao professor, ao aluno e ao encarregado de educação e a outras entidades, legalmente autorizadas, obter informação sobre o desenvolvimento da aprendizagem, com vista ao ajustamento de processos e estratégias.

1.3.1. Nomenclatura dos instrumentos de avaliação

Educação Pré-Escolar 

Observação qualitativa/formativa Abreviatura
Em aquisição EA
Adquirido A
Não observado NO

 

1.º CEB

PERCENTAGEM MENÇÃO
0 – 49% Insuficiente
50 – 69% Suficiente
70 – 89% Bom
90 – 100% Muito Bom

 

2.º e 3.º CEB

PERCENTAGEM MENÇÃO NÍVEL
0 – 49% Insuficiente 1/2
50 – 69% Suficiente 3
70 – 89% Bom 4
90 – 100% Muito Bom 5

 

1.4. Avaliação sumativa: interna e externa

A avaliação sumativa consiste na formulação de um juízo globalizante sobre a aquisição das aprendizagens do aluno e o desenvolvimento das competências definidas para cada disciplina e área curricular.
A avaliação sumativa inclui:

A - A avaliação sumativa interna, que se realiza no final de cada período letivo, é da responsabilidade do professor titular de turma no 1.º ciclo, em conselho de ano; dos professores que integram os conselhos de turma nos 2.º e 3.º ciclos e do órgão de direção do agrupamento de escolas.
Compete ao professor titular de turma, no 1.º ciclo, e ao diretor de turma, nos 2.º e 3.º ciclos, coordenar o processo de tomada de decisões relativas à avaliação interna, na garantia da sua natureza globalizante e no respeito pelos critérios de avaliação aprovados em conselho pedagógico.


De acordo com legislação em vigor, esta avaliação engloba também:
    • as provas de equivalência à frequência, em anos finais de ciclo;
    • a prova extraordinária de avaliação, aplicável a qualquer ano de escolaridade.

B - A avaliação sumativa externa, da responsabilidade dos serviços ou entidades do Ministério da Educação e Ciência designados para o efeito, compreende a realização das provas finais nos 4.º, 6.º e 9.º anos de escolaridade e destina-se a aferir o grau de desenvolvimento da aprendizagem dos alunos, mediante o recurso a critérios de avaliação definidos a nível nacional.
As provas finais incidem sobre os conteúdos dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos nas disciplinas de Português e Matemática ou Português Língua Não Materna e Matemática, para os alunos que tenham concluído o nível de proficiência linguística de iniciação A2 ou o nível intermédio B1, nos 2.º e 3.º ciclos.

In Plano de Estudos e Desenvolvimento Curricular (extrato)